entrevista filipe

Uma noite para mais tarde recordar

jan 2016

Na noite fria de 30 de janeiro cumpriu-se mais uma vez a tradição, isto porque o último sábado de janeiro é, desde há vários anos, a data para a reunião dos cantadores das Janeiras do concelho de Baião. As portas do Mosteiro de Santo André, em Ancede, voltaram a abrir-se para receber as centenas de participantes que desfilaram desde a sede da Junta de Freguesia, ao som da concertina e dos seus cânticos.
Este ano o encontro concelhio de cantadores das Janeiras registou a sua maior participação de sempre: mais de 500 pessoas deram alma e corpo a uma festa tradicional.
Depois de reporem as energias, no churrasco oferecido pela organização, os grupos reuniram na tenda da quinta do mosteiro para darem início às atuações.


Nas intervenções oficiais, o primeiro a usar da palavra foi o presidente da freguesia de Ancede e Ribadouro, Daniel Guedes, que deu as boas-vindas na qualidade de anfitrião. "Em Ancede e Ribadouro gostamos de receber todos aqueles que nos dão o prazer da sua visita e que contribuem para dignificar o nome da nossa terra", referiu Daniel Guedes, para o autarca, "este é um encontro para gente que sente a sua terra".
Para o presidente da Assembleia Municipal de Baião, José Pinho Silva, "esta será uma noite que ficará na memória das pessoas, pelo menos até ao próximo ano".
O presidente da Câmara Municipal de Baião, Paulo Pereira, salientou que estes eventos são importantes para preservar as tradições. "Só podemos pensar no futuro com otimismo se conhecermos as nossas raízes, frisou o autarca.
Paulo Pereira, enalteceu a grande adesão dos grupos aquele evento e que "é com muito gosto que vejo uma tenda totalmente cheia de gente de todas as freguesias e de várias gerações", referiu o presidente da Câmara Municipal de Baião.
Para o edil baionense quando todos os baionenses "tocam" todos a mesma melodia, são capazes de fazerem coisas fantásticas.
Quem também esteve presente foi a vice-presidente, Ivone Abreu e os vereadores da autarquia, Anabela Cardoso, Henrique Gaspar e José Lima.

Gargantas e instrumentos afinados
A festa durou pela noite dentro e contou com a participação de 16 grupos, entre os quais: Rancho Folclórico de Baião; Associação de Concertinas do Lameirão; Associação Cultural e Recreativa «Os Alegrinhos»; Rancho Folclórico «As Ceifeiras de Valadares»; Grupo de Catequese, do 8º ano, da Paróquia de Ancede; Rancho Folclórico de Ancede; Grupo de Santo André de Ancede; Associação Desportiva de Ancede; Rancho Folclórico «As Cesteiras de Frende»; Banda Marcial de Ancede; Escola de Música da Casa do Povo de Campelo; Paróquia de Tresouras; Rancho Folclórico de Santa Cruz do Douro; Escola de Música «Movimentos e Variações»; Danças e Cantares de Gestaçô e grupo de Concertinas e Bombos de S. Tiago de Queimada.

Desenvolvido por:

logotipo globalang webdeveloping