entrevista filipe

conc pecuario 18 peq

splash peq

Temperaturas altas aumentam risco de incêndio em Baião

calor alto

O município de Baião encontra-se, a 08 de agosto, em risco máximo de incêndio, tendo sido decretado o alerta laranja de proteção civil para o concelho. Em linha com esta situação e com a ativação do Plano Distrital de Emergência de Proteção Civil do Distrito do Porto, a Comissão Municipal de Proteção Civil (composição reduzida) decretou a proibição de lançamento de fogo-de-artifício até ao próximo dia 12 de agosto. Nesse dia a situação será reavaliada, pelo que a proibição poderá ser prolongada.

 Desde o início do mês de agosto verificou-se um elevado número de incêndios por todo o concelho. Entre os dias 1 e 7 de agosto registaram-se no concelho 27 incêndios, com área ardida aproximada de 500 hectares.
Os incêndios de maior gravidade ocorreram durante o fim-de-semana de 6 e 7 de agosto. No sábado o incêndio com maiores proporções repartiu-se pelas freguesias de Viariz e de Gestaçô. No domingo um incêndio atingiu Valadares e São Tomé de Covelas; outro lavrou em Mesquinhata e Grilo; e noutro caso as chamas atingiram ainda o lugar do Lameirão, na freguesia do Gôve.
Os incêndios foram combatidos com grande empenho pelos Bombeiros de Baião e de Santa Marinha do Zêzere, tendo estado também no terreno sapadores florestais e duas equipas do Grupo de Combate a Incêndios Florestais do Distrito do Porto compostas por bombeiros de várias corporações.
O presidente da Câmara Municipal de Baião, Paulo Pereira acompanhou o combate aos incêndios, na qualidade de responsável máximo da Proteção Civil Municipal. O autarca esteve no terreno, no domingo, primeiro no incêndio que ocorreu nas freguesias de Valadares e São Tomé de Covelas e, posteriormente, no incêndio que teve lugar em Mesquinhata e no Grilo. A acompanhá-lo estiveram o Comandante Operacional Municipal de Proteção Civil, José Manuel Ribeiro e técnicos do Gabinete Técnico Florestal da Câmara Municipal de Baião.
Também os presidentes de Junta baionenses acompanharam o combate aos incêndios apoiando ativamente os bombeiros.
Estiveram igualmente ativas equipas da Associação de Empresas do Sector Papeleiro e Celulose (AFOCELCA). Estas equipas pertencem a empresas privadas gestoras de eucaliptais e desde 2005 integram o dispositivo nacional de defesa da floresta contra incêndios florestais.

ALGUMAS RECOMENDAÇÕES DA PROTEÇÃO CIVIL

O Serviço Municipal de Proteção Civil (SMPC) de Baião salienta a importância da observação das disposições legais em vigor, relembrando que neste período é proibido, em todos os espaços rurais:

a. A realização de queimadas, e de fogueiras para recreio ou lazer, ou para confeção de alimentos, fora dos locais autorizados;
b. A utilização de equipamentos de queima e de combustão destinados à iluminação ou à confeção de alimentos;
c. A queima de matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração;
d. O lançamento de balões com mecha acesa ou qualquer outro tipo de foguetes;
e. Fumar ou fazer lume de qualquer tipo nos espaços florestais e vias que os circundem;
f. A fumigação ou desinfestação em apiários com fumigadores que não estejam equipados com dispositivos de retenção de faúlhas.


O SMPC de Baião, adicionalmente, recomenda e informa, a população que neste período se abstenha de proceder a limpezas de matos e outros espaços florestais ou agrícolas utilizando maquinaria ou outro equipamento que possa dar origem à produção de faíscas, sendo que na eventualidade de haver necessidade de o terem de efetuar, levarem em linha de conta os seguintes cuidados na realização de trabalhos agrícolas e florestais:

  • Que é obrigatório que as máquinas de combustão interna e externa a utilizar, onde se incluem todo o tipo de tratores, máquinas e veículos de transporte pesados, sejam dotadas de dispositivos de retenção de faíscas ou faúlhas e de dispositivos tapa chamas nos tubos de escape ou chaminés e estejam equipadas com um ou dois extintores;
  • Para manter as máquinas e equipamentos limpos de óleos e poeiras;
  • Para abastecer as máquinas a frio e em local com pouca vegetação;
  • Para ter cuidado com as faíscas durante o seu manuseamento, evitando a sua utilização nos períodos de maior calor.

Consulte aqui informação adicional sobre as precauções a ter com temperaturas elevadas por parte da Direcção-Geral de Saúde

Desenvolvido por:

logotipo globalang webdeveloping